Skip to content

Antes do óbvio

15/11/2010
tags:
by

Perdi-me a vagar pelo meu vasto mundo

Inebriado por entre eras e memórias longínquas

De um tempo que há muito se foi

Mas cá estou eu, neste canto descuro

Onde o sol crucificou a si mesmo com a própria luz

E, moribundo, abjurou sua cruz àquele dia obscuro

Em que um mais um, sob meu lúgubre julgo

Deixou de ser dois

Anúncios
4 Comentários leave one →
  1. 15/11/2010 18:03

    Eitah, se garante o filé. Parabens garoto. Massa mesmo… Ééé, os caba são poeta.

  2. Tiago da Costa permalink
    15/11/2010 13:20

    Gostei muito do poema.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: