Skip to content

Aos cacos

10/11/2010

Fora-lhe subtraído tudo que mais amava

E por mais  que o tudo  significasse coisa alguma

O nada ainda o bastava

As cicatrizes dos momentos felizes lhe negaram o esquecimento

Tê-la, ao certo, o fez fraco

Diante da áspera impressão

Do primeiro, e  mais rude ensinamento:

Amar era um fardo

E doía-lhe…

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. Virgínia permalink
    18/11/2010 18:49

    Esse foi o que mais gostei!
    Até que tu escreve direitinho..
    Auhsauhsaush brincando amor,gostei de verdas!
    =**

  2. o'hanna permalink
    11/11/2010 19:44

    ‘Amar era um fardo E doía-lhe…’ sabias palavras…me encontrei nesse poema.Muito lindo,muito doçe!
    adorei a forma picotadinha do teu poema,caracteristicas da poesia moderna ;D
    parabéns!!

  3. victormaraujo permalink*
    10/11/2010 20:11

    Se for verdadeiro, obrigado! Mas suspeito ser pra agradar uahsuahsuahsuahs… Brincadeira, valeu…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: