Skip to content

Do Outro Lado da Colina

23/10/2010
tags:

A imensidão dos paredões me impede de ver. Os muros de regras que se formam diante do, antes infinito, horizonte limitam minhas realizações, mas jamais me impedem de sonhar…

O que haverá Do outro lado da colina?
O que não querem que eu veja?
O que não querem que eu seja?

Do outro lado da colina talvez
Faça algum sentido a minha insensatez
Quem sabe lá meus desatinos sejam a razão
Que sabe lá um amigo seja um irmão

Do outro lado da colina quem sabe
Sonhar seja só o primeiro passo
Talvez aonde o paredão acabe
A gente desate esse laço

Do outro lado da colina acredito
Que as doses não sejam a felicidade

Sonho que não haja a maldade
E que Amar seja o derradeiro veredito

Do outro lado da colina, enfim
Que vãs palavras tenham sentido
Do outro lado tambem de mim
Eu faça do infinito meu abrigo.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. Alana Soares permalink
    28/10/2010 12:52

    Morenoooo…
    Esse poema é muito lindo e encantador….Parabéns!
    =)

  2. O'hanna Oliveira permalink
    24/10/2010 16:07

    Kaio ai se garantindo né??Muito lindo o poema kaio…
    ;D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: